Foco no trabalho!

Espaços corporativos precisam mesclar a estética e as regras de segurança exigidas

Texto: Karina Fascina
Imagens: Daniel Mansur e Gustavo Xavier

Não é nada fácil projetar um ambiente corporativo. Além de criar um espaço que desenvolva a produtividade, é importante ficar atento às requisições exigidas pelo Ministério do Trabalho e pelo Corpo de Bombeiros.

Para criar um ambiente que una estética e as regras de segurança, acessibilidade e funcionalidade é preciso da ajuda de um profissional para auxiliar nesse processo, já que as próprias legislações de projetos corporativos variam para cada tipo de empresa. “Depende dos serviços e produtos que ela oferece. A legislação que incide sobre uma clínica médica é diferente da que incide sobre um escritório de advocacia ou uma fábrica de salgados”, explica a arquiteta Estela Netto.

Já o arquiteto Junior Piacesi acredita que o primeiro ponto que deve ser abordado na hora do projeto é a acessibilidade do local. “Temos que pensar no acesso universal, pensar na acessibilidade não só à edificação, mas também na circulação interna das pessoas. As rotas de fuga, por exemplo. Existe uma fiscalização, a AVCB, que é o auto de vistoria do Corpo de Bombeiros, que acontece a cada três anos em edificações comerciais. É preciso adequar o projeto e trabalhar dentro desse AVCB ”.

Piacesi também conta que é necessário entender o conceito da empresa e a sua atividade para criar o espaço adequado com todas as exigências necessárias, mas sem perder a originalidade e a estética. “Quando se trata de um projeto corporativo, o seu desafio de surpreender é maior, pois você tem mais equações a serem solucionadas”, ressalta.

DETALHES IMPORTANTES

Fatores como a iluminação, ventilação e acústica do ambiente também devem ser levados em conta para criar um espaço funcional e agradável para realizar as atividades diárias. “A maioria das empresas trabalha com o conceito open space, onde todo mundo vê todo mundo trabalhando dentro de um espaço completamente integrado. Porém, quando você coloca várias pessoas no mesmo espaço, precisa trabalhar a acústica, pois elas estão falando, gerando ruído. Tem que pensar na absorção desse som. Precisa, também, pensar no fator clima, pois várias pessoas geram calor e, com a temperatura aumentando cada vez mais, é necessário que os funcionários tenham uma ventilação adequada no ambiente para produzirem melhor. São condições de trabalho”, explica o arquiteto.

DEIXE UMA RESPOSTA