AUTOMAÇÃO RESIDENCIAL: AO GOSTO DO CLIENTE!

 

Incorporadoras apostam em produtos com infraestrutura completa e flexível, apta à instalação de todos os tipos de sistemas

Texto: José Assunção Rodrigues Júnior

Foto: Shutterstock

Em meio tantas novidades apresentadas em eventos recentes, a evolução dos sistemas de automação para aplicações diversas é evidente. De aplicativos de smartphones para todos os fins até a interação da automação da residência com veículos, conveniências mais do que bem-vindas não param de surgir.

Porém, com o ritmo lento da economia (e principalmente do mercado da construção), as oportunidades de negócios tambémficam menores, o que exige muito esforço e criatividade para se manter no mercado.

MENOS LANÇAMENTOS, MAIS FLEXIBILIDADE

Apesar da perspectiva de melhora da economia a partir de incentivos (ainda tímidos) que movimentem os negócios no setor, uma boa expectativa já foi gerada. A diminuição no ritmo de novos lançamentos residenciais está levando algumas incorporadoras a repensarem a estratégia e criarem novos produtos para competir no mercado.

A proposta é oferecer produtos diferenciados e com recursos que, até então, estavam sendo ignorados pelos construtores. O design e as opções de diferentes tipos de moradias em um mesmo empreendimento são diferenciais bastante atrativos. Os novos lançamentos contarão com infraestrutura completa e flexível para todos os tipos de sistemas que o morador opte por instalar, em qualquer tempo, sem a necessidade de grandes interferências ou infraestrutura adicional. E alguns desses lançamentos já estão previstos para o ano de 2018.

PROBLEMA RESOLVIDO!

Certamente este é um avanço para o setor de automação e integração de sistemas, já que um dos pontos mais importantes (e que causa certos problemas na escolha dos sistemas ou na fase de implantação) é a falta de infraestrutura adequada.

Estas inciativas podem oferecer as facilidades que todos os compradores que buscam por imóveis esperam encontrar, mesmo que não tenham a intenção de possuir todos os equipamentos e sistemas almejados em um primeiro momento. Independentemente disto, eles saberão que será possível fazê-lo quando o desejarem.

Que esta ideia seja compartilhada com todos os profissionais envolvidos na evolução do mercado imobiliário. E que esta prática tenha o objetivo de oferecer maior conforto e praticidade aos clientes/moradores.

Veja Também